sexta-feira, 15 de maio de 2009

Cidade paulista adapta turismo de aventura para deficientes

Já comentei aqui no blog e reafirmo: o maior desafio das pessoas que se 'tornam' deficientes físicos é manter os mesmos programas e hobbies que tinham antes da deficiência. A maior parte simplesmente desiste de tentar desfrutar dos mesmos prazeres, não sai de casa pra nada, não toma atitude nenhuma para melhorar sua qualidade de vida, pois tem vergonha ou até preguiça de se aventurar pelo mundo afora. Um pequeno percentual delas se conforma com a nova situação e busca outras formas de diversão e lazer, mas também evita uma série de programas porque acha que vai ser muito difícil ou acha que vai atrapalhar. Apenas uma minoria corre atrás das mesmas atividades que fazia antes, de uma forma adaptada. Mas acredito que essa minoria tem feito a diferença exigindo seus direitos e botando a boca no mundo. Afinal de contas, somos 14,5% da população brasileira, um grupo sedento por oportunidades e alternativas de melhorar sua qualidade de vida.
Para quem gosta de viajar, como eu, a cada dia que passa surgem novas alternativas, como o já citado Guia Brasil Para Todos, que destaca as melhores alternativas de turismo adaptado em cidades turísticas. Hoje com grata surpresa assisti no Jornal Hoje que a cidade de Socorro, no interior paulista, se tornou a cidade modelo em acessibilidade tornando-se o primeiro destino turístico do país adaptado a pessoas deficientes e com mobilidade reduzida, proporcionando até mesmo esportes radicais como tirolesa e rafting. A cidade toda possui adaptações para as mais diversas deficiências, e a maioria dos hotéis também conta com este diferencial. Vale a pena conferir, eu já inclui a cidade nos meus próximos roteiros.
Para saber mais visitem a página dedicada ao turismo de Socorro:
http://www.socorro.tur.br/default.asp?acao=home

5 comentários:

  1. Estou doido pra visitar Socorro! Aquela tirolesa parece muito legal e acho que vou passar um final de semana por lá muito em breve. Fora que, com as adaptações, tudo fica muito mais fácil, né?

    ResponderExcluir
  2. Só combinar Sam, tb to afim de conhecer.
    abraço.

    ResponderExcluir
  3. Vc podia fazer uma avaliação como o do fit no Idea, q vc acha?
    Ab.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Estou comentando agora porque foi a primiera vez, como estudante de turismo, que ouvi sobre a cidade de socorro.
    Caro amigo, gostei muito de seu texto e o quão real ele é!
    Infelizmente, são poucos que enfrentam esta situação e tem coragem de colocar a boca no trombone, mas pior ainda, é saber que os nossos representantes não buscam alternativas mais severas para punir, vamos ser mais maleaveis e dizer reeducar aqueles que não respeitam o direito do cadeirante.
    A acessibilidade, assim como o direito ao lazer, ao turismo em todos os seus segmentos é um direito de todos, inclusive dos portadores de qualquer "discapacidade", não concordo bem com este termo, mas é o usual.
    É preciso todas as cidades seguirem o exemplo louvável desta cidade que está de parabéns.
    O turismo apesar de ser uma atividade, ainda cara, pouco acessível e de poucos deve ser socializado e acessível a qualquer cidadão.
    Espero que atitudes como esta sirvam de lição, exemplo e modelo para toda a nação, pois mais de 14% da população é um número bastante considerável e ainda que fosse 1 ou 1% teria de ser respeitado e suas necessidades atendidas e as atividades extendida ao mesmo.
    Não vejamos o turismo apenas como uma atividade de lucratividade, rentável ao país, mas também como um meio para expressarmos a nossa humanidade, seja no turismo ecológico com respeito à educação ambiental, seja no turismo de aventura com a inclusão social o que importa é sermos, antes de tudo, solidários e mais humanitários.
    forte abraço e parabéns.
    Que Deus lhe abençoe.
    Waldemar C. L. Neto
    Aluno de Gestão em turismo IFPE

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...