sábado, 3 de abril de 2010

Como chegar em um cadeirante?

Das diversas "consultorias" que já dei desde que comecei com o blog, desde dicas para comprar um carro adaptado até questionários para projetos de TCC, os que mais me surpreendem (e me deixam feliz) são os relatos de pessoas que se apaixonaram por um cadeirante e não sabem como chegar. Não sabem porque ficam com medo de o cadeirante achar que não gosta dele de verdade, que é por pena, ou que é "pegadinha", a menina não pode estar gostando de verdade do cara, afinal ele "é só meio homem". E eu já vi relato real de um cadeirante que deixou de ficar com uma garota que estava afim dele e acabou ficando com uma outra cadeirante, talvez por achar que ela sim, tá na mesma que ele e pode aceitá-lo daquele jeito.
Essa é a pior forma de preconceito, o autopreconceito. É o que a Luciana, da novela, andou fazendo antes de "aceitar" a relação com o Miguel. Não acreditar que dá conta do recado, ou que possa stisfazer uma pessoa "nomal", é o pior erro de um cadeirante nesse momento. O que afirmo é que sim, independente da cadeira de rodas, somos capazes de satisfazer a parceira em todos os sentidos. E que as limitações físicas podem ter até seu lado bom, abrem espaço pra criatividade, pra busca de alternativas que podem se mostrar melhores do que as vias normais. Acontece que nem todo mundo sabe disso (ou procura saber).
Mas se há essa barreira do autopreconceito, o que fazer para chegar no cadeirante, mostrar a ele que não se importa com a deficiência e que quer investir no cara, vencer as barreiras e ser feliz? A receita do sucesso não é segredo, é o que sempre sugiro a quem me pergunta: diálogo. Tem que conversar e se abrir, ter coragem para expor os sentimentos e dizer na cara dura que o lance da deficiência é só um detalhe, assim como há outras tantas imperfeições em outras pessoas. Não digo um detalhe como sendo uma coisa simples, mas como uma coisa pequena em relação a um sentimento. Se a pessoa gosta de verdade da outra, não haverá barreira que impeça de ficar junto, nem desaprovação de amigos e família (acontece muito), nem dificuldade de acesso a algum lugar
Mas é necessário um certo tato. Um cara numa cadeira pode estar mais sensível, ou pode ficar mais desconfiado. A mulher pode, então, mostrar que o interesse é real através de dedicação, se informar bem sobre o assunto, saber como pode ser uma parceira nos desafios típicos de um cadeirante. Mostrar programas acessíveis, equipamentos que melhorem a vida dele, e casos de casais que deram certo. Podem me usar como exemplo!!

48 comentários:

  1. Que o que vemos na tv influência não temos dúvida e é por isso que estou ansiosa pra ver o resultado da novela "Viver a vida". Acredito que uma parte das dúvidas, receios e até preconceito, das pessoas perante nós cadeirantes diminuiu. Sinto na pele o receio das pessoas "rapazes" de se aproximarem de mim e isso as vezes me deixa triste, mas logo penso que quando aparecer um homem de atitute ele vai chegar, chegando...kkk

    ResponderExcluir
  2. Desculpa desvirtuar o assunto.Sou muletante e devido a diversos acontecimentos resolvi falar mesmo sobre o que acontece. Mas não consigo colocar lista de blogs (que são muito bons), queria um calendário se fosse possivel, deixar ele mais bonito. Você pode me ajudar, porque ate agora so recebo NAO!
    Agradeço antecipadamente!O Nome do meu blog é adapte-se e sou sua seguidora

    ResponderExcluir
  3. Eu acredito no amor, sempre, já me apaixonei de verdade por um cadeirante, e a última coisa que via qdo o encontrava era a cadeira ( não sei nem a cor...rsrsrs ) , porque realmente nunca fez diferença pra mim, gostava dele, como pessoa, só que não fui correspondida, foi dificil, mas não deixei de acreditar no amor, ele supera tudo, não há nenhuma barreira quando se gosta e o sentimento é verdadeiro!!!
    Bjus

    ResponderExcluir
  4. qdo é pra acontecer, o amor chega independente da condiçao, raça, sexo...enfim, isso é o que nós sem limites de percepçao dizemos, mas aqueles preconceituosos nao acham nd disso. Amo meu namorado, temos planos pro futuro, porém os meus pais, principalmente meu pai tem preconceito enorme por ele ser cadeirante, e essa situaçÃo é bem angustiante dentro de casa... deixar de viver um amor, de pensar em meu futuro ou pensar em meus pais e ficar tudo bem em casa? é bem complicado, e nÃo sei como abrir os olhos deles... mas vamos enfrentar embora n me deem apoio algum, até que um dia eles aceitem e sintam a minha felicidade. Vale para uma boa discussão.beijos. Andréa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!Andrea.passo pela msm situação ke vooc...nossa é horrivél demais,mais sou apaixonada pelo namorado tbm naum sei o que faço de minha viida,naum só dentro de casa mais tbm na rua com os meus amigos,as vezes penso até em desistir de ficar com ele...i vooc oque acha disso?bjs kelly(Prazer)!

      Excluir
  5. Boa tarde...achei mto legal as abordagens feitas por vcs...
    Estou me formando este ano em propaganda e marketing e tenho um trabalho de conclusão e o nosso projeto experiemntal q vamos defender é um motel para portadores de necessidades especiais, gostaria de saber se vcs podem nos ajudar com informações...
    meu contato: nicolecarazato@hotmail.com

    Desde já agradeço a atenção

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde alessandro sou cadeirante e gostaria que vc me respondesse sobre ir no banheiro fazer o n 2 kkk vc toma algum laxante ou só com massagem e o toque vc consegui, e se vc vai todos os dias ou dia sim dia não que nem eu abraço aguardo respostas.

    ResponderExcluir
  7. Puta cara adorei seu blo 10 anos como cadeirante e naum sabia de um monte de coisas que estou vendo aqui no blog uma pergunta tenho um aparelho que fis no hc de sp mais ele é um poco ruim vc sabe aonde conseguir um melhor e se é barato obrigado aguardo respostas se vc tiver um imail ou um msn pra gente conversa agradeço.

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Primeiramente, adoro o blog.
    Namoro um cadeirante a 4 meses, não assumi ainda para familia, porque, infelizmente, sei que meus pais, principalmente minha mãe terá preconceito. Esta questão me aflige muito, mas esou sentindo em frente,e realmente achar que ele é " o cara " irei enfrentar os obstaculos...

    Beijos,
    Bibi

    ResponderExcluir
  9. fiquei muito feliz em ler seu blog, meus parabens!!!
    ontem na universidade, eu estava indo pra aula e em um dos corredores passou por mim um garota muito linda, cadeirante, eu fiquei muito afim de ir falar com ela, mais fiquei meio sem graça de parar ela no meio do corredor, talvez eu tenha ficado grilado em receber uma resposta negativa ou uma tirada, mais hoje apos ler seu blog me senti encorajado a ir falar com ela assim que eu avista-la.
    um forte abraço!
    eo blog ta salvo nos meus favoritos ^^

    ResponderExcluir
  10. namoro um cadeirante a 8 meses e sou muito feliz com ele e ele é muito lindo tb rsrsrs.... parabéns pelo seu blog, adquiri muitas informações importantes aqui, vou visitá-lo sempre pra saber das novidades ok???
    abraçoss Priscila

    ResponderExcluir
  11. Obrigado pelos comentários e elogios! Quanto às perguntas, mandem pro meu e-mail, tá lá no meu perfil. Abraços a todos!!

    ResponderExcluir
  12. Não sou cadeirante, mais esse é um assunto que sencibiliza muito, e fico pasma com o grande pre conceito que as pessoas ainda tem, deviam ver que uma pessoa se faz de corpo, alma e coração e muita gente acha que cadeirante não é completo mais ao meu ponto de vista essa opnião faz com que a pessoa seja deficiente, mais é a pior deficiencia que tem, a de coração.
    Uma vez vi um menino de moletas lindo demais, sempre o via quando vinha do colegio, mais ele sempre abaixava a cabeça e achava que eu o olhava por pena, mais passei quase 2 anos vendo ele e ele abaixando a cabeça e eu nunca sabia como demostrar ou falar que eu gostava dele. Hoje tenho 22 anos, terminei o colegio a 5 anos mais não me esqueci dele e nunca mais o vi.
    Parabéns pelo seu blog!!!
    Abraços...Estefania

    ResponderExcluir
  13. Olá Alessandro

    Muito bacana seu blog, álias o texto acima me fez "seguir" seu blog. Mas... a propósito poderia explanar uma pouco mais sobre o tema.

    ps.: hehehe...a "consultoria" é realmente relevante

    ResponderExcluir
  14. Alessandro, gostaria de agradecê-lo pelas informações que constam em seu blog, pois tem me ajudado muito na inserção deste universo.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  15. oi meu nome e MARCELO e sou cadeirante tanbem eu tenho uma namorada e sou muito felis pois aprendii que somos capazes de supera guauguer limites....ALESSANDRO,muito brigado pelas informações que vc pois em seu blog....

    ResponderExcluir
  16. Parabéns pela iniciativa.
    Sou fisioterapeuta e meu maior problema é ter que conviver com o auto preconceito! Acabo me tornando também psicoterapeuta, na tentativa de demover meus pacientes da auto-piedade. Recomendo seu blog a todos eles!

    ResponderExcluir
  17. Estou gostando de um cadeirante e tenho receio que ele possa achar q eu esteja so com pena dele, estou gostando muito dele sei q a familia pode estranhar o fato mais eu o amo e quando se ama e é de verdade tudo supera, as dificuldades as diferenças, o diálogo e o respeito são fudamentais numa relação. SUAS INFORMAÇÃES SÃO MUITO IMPORTANTE PARA MIM SÓ ASSIM POSSO TIRAR MINHAS DUVIDAS.

    ResponderExcluir
  18. Olá pessoal..tenho 16 anos e tenho um namorado cadeirante,ele tem 21 anos de idade,os meus pais,parentes e amigos não aceitam,e eu não sei o que fazer,estamos juntos a 1 ano e minha primeira vez foi com ele,não quero que nada acabe com o nosso namoro.
    Me Ajudem!

    ResponderExcluir
  19. OI !!! SOU CADEIRANTE 1 ANO E 7 MESES , MINHA LESÃO É NA REGIÃO T3 E T4 , FIQUEI COM UMA LESÃO INCOMPLETA , NO DIA QUE EU SOFRI O ACIDENTE EU JÁ SABIA QUE EU IRIA PERDER A NAMORADA DE MAIS DE 8 ANOS , A MÃE E PARENTES DA PARTE DELA FIZERÃO MUITO A CABEÇA PRA ELA ME LARGAR , MAS HJ EU TENHO OUTRA , MUITO MAIS BONITA E COMPREENSIVA COM MEU ESTADO DE RECUPERAÇÃO , TENHO 36 E ELA 31 , ESTOU CONFIANTE COM MINHAS CONQUISTAS , SOU GRATO POR DEUS DE ME DAR OUTRA VIDA , MEU ACIDENTE FOI UM CAPOTAMENTO ,TIREI PRA NÃO BATER DE FRENTE COM UMA CARRETA ,NUMA CURVA ACENTUADA , A MESMA VINHA COMENDO FAIXA PRO MEU LADO ... IA SER UMA COLISÃO DE FRENTE ... HJ ESTOU FAZENDO FISIOS , MUSCULAÇÃO , HIDRO , ME ESFORÇANDO CADA VEZ MAIS , EU PROCUREI MAIS A DEUS NESSA MINHA OUTRA VIDA , ESTOU MUITO FELIZ MESMO , AMIGOS A MAIORIA FORÃO SE AFASTANDO , MAS ISSO NÃO LIGUEI NEM UM POUCO ,TENHO MUITA FORÇA DE VENCER ESSA LESÃO , NÃO ACREDITO EM DESANIMAR JAMAIS , ISSO SÓ DEUS DÁ AO HOMEM A NOVA VIDA DE VIVER PRA QUEM TEM FORÇAS PRA AGUENTAR TUDO ISSO QUE EU ESTOU PASSANDO NESSE MOMENTO EM MINHA VIDA NOVA .... SOU DE PARANAVAI - PARANÁ ... VALEU , SOU SEU FÃ ALESSANDRO PARABENS !!!!

    ResponderExcluir
  20. Parabens Alessandro, tenho uma namorada linda cadeirante, e a cada dia que passa tenho a certeza que a amo demais, o problema eh que eu estou estudando na Europa e ela tem medo de viajar de aviao. Se possivel me envie informacoes a respeito de como funciona todo o atendimento. Beijos Grata.

    ResponderExcluir
  21. Nossa to amando esse blog..aprendendo cada vez mais com cada post..

    Estou completamente apaixonada por um cadeirante. Ele esta nessa condição ha 6 anos e conheci ele assim. O problema maior é q ele é meu melhor amigo. Fazemos tudo juntos, desde baladas, viagens, praia...tudo! Tenho medo de perder esse contato forte e essa ligação q temos, caso ele nao aceite esse meu sentimento.
    Somos mto ligados mesmo, e sinto q ele tbm ta curtindo minha compania e meu carinho. Sei q logo logo tbm, tudo vai se ajeitar. Pq é mto carinho e atenção num lugar só.
    As vezes falo q esqueço a condição dele, e todos desacreditam, mas é verdade, quando vc ama alguem de verdade, essas coisas "minimas", pq pra mim isso é apenas um detalhe pequeno, essas coisas simplesmente nao existem, pelo menos pra mim. Amo ele demais, pra me prender em certas coisas.
    Escuto mta gente falando q vou ter dificuldades, etc, acho ridiculo isso, ele faz coisas comigo...q mta gente q anda normalmente tem preguiça de fazer. Isso é fato! Dançamos, bebemos...rimos, ele dirige, é totalmente independente, tem uma carreira linda ai pela frente, sinto mto orgulho!
    Essas coisas, q fazem minha admiração e meu amor, aumentar cada dia mais. É magico !

    D.S

    ResponderExcluir
  22. Parabens por esse blog.......nota1000.

    Sou cadeirante se alguém quiser me adiconar no msn e amail é:
    3d_everton@hotmail.com.br

    ResponderExcluir
  23. Sou apaixonada por um cadeirante lindo! Mas infelizmente não sou correspondida, adoro o seu blog, pois lendo seus artigos me ajuda a matar um pouquinho a saudade que sinto do meu beija-flor! parabéns....

    ResponderExcluir
  24. Sou cadeirante e essa fase de negar o amor por alguem "normal" eu ja passei. Problema é que de quem eu gosto ja tem namorado hehe mas beleza nem tudo são flores

    Abraço.

    ResponderExcluir
  25. Vc é um exemplo de cidadão Alessandro....
    Não sou cadeirante, mas admiro demais as pessoas como vc, que levam uma pancada da vida e ao invés de renunciar a ela, e sentirem autopiedade,transformam-na em uma vida feliz, como a de todo mundo....com altos e baixos!!
    Parabéns!!!
    Sou sua fã!

    ResponderExcluir
  26. Carla _ São Paulo27 de maio de 2011 00:20

    Olá, Alessandro, "esposa", e participantes.

    Tomo a liberdade de dar o meu depoimento para reforçar o que algumas mulheres declararam e para dar força aos cadeirantes que ficam temporariamente desanimados.

    Estou interessada em um cadeirante, há 3 semanas,eu tomei a iniciativa!

    Estava no Fórum tirando cópias. Ao virar e olhar para trás me deparei com um advogado cadeirante. Prontamente, sem malícia alguma, me ofereci para ajudá-lo, ele aceitou, após retribuiu a gentileza.

    Em seguida parei para montar a minha petição, ele fez o mesmo na mesa ao lado. A partir desse momento, do nada, o olhei de forma diferente da primeira vez, o olhei e vi como HOMEM.Cheguei a ficar sem graça.Saimos cada um para um lado.

    Depois de 20 minutos, nos deparamos no hall do andar e ficamos os dois sem graça (já estávamos nos interessando e sem saber o que fazer) esperando o elevador, e para piorar, cercados de pessoas o que nos impedia de arriscar qualquer contato.

    Chegamos ao térreo, ele desceu primeiro, e as pessoas foram saindo. Pensei rapidamente, "e agora? Ir atrás não tenho coragem." Abordei o ascensorista, eu risonha e sem graça perguntei se ele aparecia no Fórum sempre. O ascensorista ficou de ajudar... e ajudou!

    Essa semana, fui ao Fórum, estrategicamente peguei o mesmo elevador e o ascensorista, falou "dra., "ele" acabou de sair daqui. Deixou o cartão e pediu para senhora ligar."

    Meu coração disparou. Comecei a ter milhares de preocupações, e não eram com o sexo, era a dinamica, a rotina, o dia-a-dia... Passei a me fazer perguntas e a não ter a quem perguntar.De repente me dei conta que minha casa tem escadas (rs). Louco, mas me senti onipontente em razão do DESCONHECIDO. Um misto de proteção e medo, que nada tem a ver vergonha de assumi-lo.

    Resumindo,(senão vou acabar com os "folhas" do blog. rsss) liguei na última segunda, ele "na lata" me chamou pra jantar e perguntou que horas poderia me buscar. Ele não me dá tempo de pensar, vem pra cima! (rs). E confesso que gosto dessa segurança dele. Jantamos ontem, nos falamos hoje, e combinamos que passaremos o sábado todo juntos.

    E como vcs dizem, "cadeirante também tem desejo, faz sexo, namora..." e não dúvido! O que vi foi um homem como outro qualquer, que me observou toda e demonstrou, claro que com elegância e educação, que estava muito atraído.

    No geral, muitas vezes, por erro, ficamos uns com medo dos outros. Nesses casos, cadeirantes com medo de rejeição e andantes simplesmente sem ação por não saber o que fazer! (não ignoro o preconceito de alguns).

    Eu pedi a ele que me ajude, afinal, terá que me educar no sentido de ensinar como se faz as coisas, inclusive o sexo. Logo, "deficiente", sou eu, mas por enquanto! (rs).

    Quero dizer que aos olhos dos outros, não seria arrogante ao ponto de me autodefinir, sou bonita, bem sucedida, sensual, segura, E FOI EU QUEM FOI ATRÁS DO CADEIRANTE.

    E já tenho resposta pronta para quando for abordada por indelicados, caso nosso relacionamento dê certo, sobre ter namorado anteriormente andantes. Direi, "sim, já namorei alguns quadrúpedes, parte dos machos andantes (bípedes) são quadrúpedes! (me desculpem os bichinhos). (rs).

    Adorei tudo que li de todos!

    Tudo de bom pra nós mulheres fortes e corajosas. Daqui a pouco ficaremos famosas tão Meninos, ajudem as meninas, sei que pode ser uma sobrecarga, mas sei que são mais humanizados que os "outros". Meninas, aceitem a ajuda, e não tenham medo de perguntar, com delicadesa, tudo pode!
    quanto as esposas guerreiras dos militares, alguns, tb, cadeirantes em razão da violência.

    * Meninos, ajudem as meninas, sei que pode ser uma sobrecarga, mas sei que são mais humanizados que os homens. Meninas, aceitem a ajuda, e não tenham medo de perguntar, com delicadesa, tudo pode!


    ** Ah, o "meu" cadeirante foi vítima de sequestro relâmpago tendo sido alvejado a bala pelo "vagabundo" no mesmo episódio.

    Até breve!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu nome é Tiago, moro no rio grande do sul, sou usuário de cadeira de rodas.

      Gostei muito de ler sua história, eu gosto de ler estas histórias pois elas motivam a gente!
      O preconceito existe, e quando eu leio, acontecem com alguém!
      Amanhã serei eu!

      Obrigado por compartilhar sua história...

      Mas me conta, você ficou com ele?

      Excluir
  27. Carla _SãoPaulo27 de maio de 2011 00:29

    (Desculpem o antipenúltimo parágrafo, foi absorvido pelo penúltimo no "copiar e colar")CORRETO: Tudo de bom pra nós mulheres fortes e corajosas. Daqui a pouco ficaremos famosas tão quanto as esposas guerreiras dos militares, alguns, tb, cadeirantes em razão da violência.

    ResponderExcluir
  28. Oi Alessandro...

    Adoro visitar seu blog!!!!

    Conheci através de rede de relacionamentos na internet, um cara extremamente interessante, uma pessoa linda, inteligentissimo, simpático e apaixonante, que por sua vez, é um CADEIRANTE.
    O mesmo mora no Rio de Janeiro e eu na PARAIBA, sou comprometida, tenho um relacionamento há 8 anos, nunca traí o meu namorado, mas, acabei tendo mais contato com o cadeirante, o mesmo chegou até a me visitar, veio conhecer minha cidade e me conhecer pessoalmente, fui sincera com ele, mas, me senti muito atraída pelo mesmo, só que não consegui demonstrar muito interesse, enfim, ficamos o final de semana inteiro, foi maravilhoso, sei que estou errada, mas, estou apaixonada por ele, estou criando coragem para finalizar o meu atual relacionamento, mas, também tenho muitas dúvidas perante o sentimento do cadeirante para comigo, acho que estou mais interessada nele do que ele em mim, talvez pelo fato que tenho um namorado, estou tentando da maneira mais sutil demonstrar que tenho interesse nele e quero algo serio, espero que ele não tenha autopreconceito, porque sem modestia, sou bonita, 12 anos mais nova que ele, e bem sucedida, preciso saber o que devo fazer...
    Vou visita lo em Julho, como devo proceder neste pr´ximo encontro? Beijosss

    ResponderExcluir
  29. Oi Anônima! Seu caso é mesmo delicado... acho que você deve abrir o jogo, contar que tem namorado (se ainda não contou) e que está disposta a terminar e investir nele. Isso pode mostrar que você é sincera e franca, e que seu sentimento é verdadeiro. Mas tenha certeza também que o cara está na mesma, sonde ele sutilmente (como vocês mulheres sabem bem fazer). Boa sorte! (depois me conta)

    ResponderExcluir
  30. Sofre acidente de moto a tres anos, e fiquei paraplegico
    desde entao nao tive relacionamento com ninguem, e agora to começando, foi amor a primeira vista, mas por parte da familia da minha namorada ha preconceito, o que devo fazer nessa situaçao.

    ResponderExcluir
  31. OLá, sou produtora de tv e estou a procura de um cadeirante que tenha muito interesse no tratamento com células tronco, alguém pode me ajudar? Meu msn: produtoratvsp@hotmail.com , obrigada!

    ResponderExcluir
  32. Olá anônima produtora de tv, estou parapregico há um ano e quatro meses e tenho muito interesse em tratamento com células tronco. Que tipo de interce eu tenho que ter?

    ResponderExcluir
  33. Olá pessoal, estou encantada com este blog e com os depoimentos. A muitos anos atras conheci um rapaz, ficamos amigos, mas nunca rolou nada (nunca rolou interesse algum), com o passar dos anos nos distanciamos e a nossa vida seguiu rumos totalmente diferente. Nos reencontramos no hospital em que eu trabalho e vi que ele estava em uma cadeira de rodas, mas eu naum sabia o que tinha acontecido. Passou uns dias ele me add no face e depois passamos a nos falar pelo msn e ele me contou o que aconteceu, me contou sobre o acidente que havia sofrido e que o tinha deixado paraplégico. O tempo foi passando e hoje estamos apaixonados um pelo outro, e como um comentário que li acima, eu naum sei nem a cor da cadeira dele. Ainda não assumimos pra todo mundo, mas eu tenho 30 anos e até hoje nenhum homem que passou pela minha vida, me fez tão feliz como ele me faz.
    Este blog está me ajudando e ensinando muito, mais uma vez obrigada!!!

    ResponderExcluir
  34. ola!a pouco terminei um relacionamento de anos(na verdade foi o parceiro que acabou).tenho um amigo cadeirante conheci ele antes do acidente que o deixou assim.sempre fomos muito amigos ele sempre me ajudou,e tbm demonstrava um certo interesse por mim.agora que estou solteira vejo ele com mais carinho e admiraçao ainda.mas vejo que depois do acidente ele não me trata mais da mesma forma.nós saimos com alguns amigos sempre que da.quero demonstrar o quanto ele é importante mas não vejo como.

    ResponderExcluir
  35. Olá pessoal, sou cadeirante a 11 anos, uns dias atraz conheci uma mulher pelo chat, ela mora numa cidade vizinha da minha, conversamos no chat, adicionei ela no msn e fizemos uma ótima amizade conversamos sobre vários assuntos, sobre minha vida como cadeirante, etc... e assim foi indo por alguns dias, até que um dia ela falou que gostaria de me conhecer pessoalmente, na hora fiquei com um pouco de medo, mas topei, marcamos o lugar e nos encontramos, pois tenho carro e ai facilita, saimos fomos para um bar conversamos diversos assuntos, parecia tudo muito lindo, ai depois de agumas horas juntos nos despedimos e fomos cada um para sua casa, continuamos conversando no msn, e aconteceu aquilo que eu tinha receio que iria acontecer, depois de alguns dias ela falou que precisaria de um tempo para pensar, que não sabia se estava preparada para um relacionamento com um cadeirante, simplesmente coloquei para ela que tudo bem, ela tem que fazer o que é certo para ela, não nos encontramos mais nem no msn, não que eu não querira, mas ela que não entra mais ou entra em horários que não estou.
    O que me resta no momento é partir para outra e torcer para que tudo de certo da próxima vez.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  36. Adorei os depoimentos aqui nesse post e o blog em geral. Nao sou cadeirante ou estou interessada em um, apenas caí inesperadamente no blog por uma busca no google. As coisas que li me fizeram pensar como somos ignorantes em relacao a essa condiçao de cadeirante. De qq forma, me passou pela cabeça que se eu namorasse um cadeirante eu sempre iria ficar na dúvida se ele se interessaria por mim se tivesse as mesmas condições físicas que eu. É uma coisa que ninguém comentou aqui e imagino que sempre role uma dúvida entre os casais: se não houvesse essa situação "desfavorável", estaríamos juntos? se por milagre ou avanço bio-tecnológico o parceiro(a) voltasse a andar a relação se manteria? será que o cadeirante, pela própria condição, não tenta compensar a parceira e vice-versa e sem isso, seria mais egoísta e tal? enfim, a se pensar...

    ResponderExcluir
  37. ola pessoal meu nome é henrique sou cadeirante desde os 14 anos por causa de um tiro nas costas, hoje tenho 45 anos, estou bem reabilitado, trabalho, dirijo, vivo a vida,este blog é muito legal muitas informações, utéis para toda e qualquer pessoa, ja passei por muitas experiencias, na minha vida de cadeirante, se quizerem de relatos estou a disposição, quero parabenizar o alessandro pelo blog.
    meu email: henriquesoriano@superig.com.br .

    ResponderExcluir
  38. E aí blz?.Meu caso é o seguinte:através de um site de relacionamento,estou prestes à falar com posso dizer mulher,mas não nem idéia de como fazer isso.Tenho medo que pense que estou com pena dela o que faço?.

    ResponderExcluir
  39. olá pessoal adorei esse blog
    sou paraplégico desde 2009 devido um acidentes de moto
    minha vida sexual é quase normal,minha parceira é muito amorosa comigo,meu pênis fica por um bom tempo ereto,mais só tenho uma frustação ainda não consigo gozar,se alguém poder me ajudar me add
    meu e-mail e msn jsotmz@hotmail.com
    ( PESSOAL A TODOS QUE QUISER ME ADD PODE PARA ME AJUDAR E TROCARMOS IDÉIAS)abçs

    ResponderExcluir
  40. olá pessoal adorei esse blog
    sou paraplégico desde 2009 devido um acidentes de moto
    minha vida sexual é quase normal,minha parceira é muito amorosa comigo,meu pênis fica por um bom tempo ereto,mais só tenho uma frustação ainda não consigo gozar,se alguém poder me ajudar me add
    meu e-mail e msn jsotmz@hotmail.com
    ( PESSOAL A TODOS QUE QUISER ME ADD PODE PARA ME AJUDAR E TROCARMOS IDÉIAS)abçs

    ResponderExcluir
  41. Oi. Achei seu blog excelente. Realmente eu fico "p..." da vida com quem tem preconceito com pessoas ditas deficientes, não importa se cadeirantes ou outro tipo de deficiência. Aliás, acho que deficiente é a pessoa que tem preconceito. Eu não tenho preconceito nenhum , para mim todos são iguais. Não vejo metade da pessoa, não vejo o que ela não pode fazer... etc. Sendo assim, eu sou metade também, porque tem muitas e muitas mesmo, coisas que eu não posso e não sei fazer. No entanto eu sou "inteira"... e daí?
    Eu já passei por isso com um rapaz que eu me interessei e ele simplesmente me disse que não iria dar certo e nem me escreveu mais porque ele está em uma cadeira de rodas a quase dez anos.
    Achei um absurdo, ele mesmo se colocando em uma posição inferior.
    Eu já conheci pessoas super diferentes, cegas, mudas, surdas, de muletas, cadeira de rodas e todas eu sempre olhei como o que são de verdade, pessoas maravilhosas, que me fazem rir, que brigam comigo, que fofocam comigo e vivem suas vidas normalmente.
    Continue o blog, ele é ótimo.
    Voltarei para novas visitas.
    Beijos
    Nathal
    http://mromances.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NATHAL FIQUEI FELIZ COM SUA VISITA, CONCORDO COM VOCÊ COMPLETAMENTE, E ACHO QUE O PIOR DE QUEM TEM DEFICIÊNCIA, NÃO É A DEFICIÊNCIA É O PRECONCEITO DE SER OLHADO COM PENA, E NA VERDADE OS CADEIRANTES SÃO MAIS HOMENS QUE MUITOS HOMENS, MAIS PACIÊNTES, POIS TUDO QUE SE FAZIA COM PRESSA SEM PENSAR, AGORA É TUDO PENSADO E ARQUITETADO, EU ADMIRO TODOS VOCÊS HOMENS E MULHERES(CADEIRANTES), E SE TIVESSE IRMÃOS GÊMEOS UM ANDANTE E OUTRO CADEIRANTE EU ESCOLHERIA O CADEIRANTE PARA NAMORAR, POIS CREIO, QUE TUDO QUE PASSAMOS MELHORA O CORAÇÃO,
      E QUE O CADEIRTANTE TEM MAIS A OFERECER DO QUE O ANDANTE, POIS ELE VÊ A COMPANHEIRA ALÉM DA MULHER.
      UMA ABRAÇO A TODOS
      SAN (AMOR AOS ROMANCES - http://amoraosromances.blogspot.com.br/

      Excluir
  42. concordo plenamente eu to no meio do tiro o alvo , não sei mais o que fazer ,concerteza eles vê alem da mulher.

    ResponderExcluir
  43. Sou cadeirante a mais de 6 anos e Mora em SC num lugar muito lindo sou proprietário de uma loja na minha cidade e sou casado com uma linda morena vivo com ela já 12 anos vivemos muito bem, dificuldades existem mais isto não nos impede de sermos felizes.

    Mais realmente existe pessoas que ainda se comporta de uma forma vergonhosa, mais ninguém esta escape de a vida trazer algumas surpresas; hoje no brasil por mês são em média de 13.000 pessoas ficando com alguma deficiência então temos que nos unir para nos ajudarmos.

    Oi Cris desculpa não consegui entender o seu comentário linda; mais fico feliz em ver que você esta junto nesta causa parabéns a você e todos os demais amigos e em especial ao criador deste espaço democrático e muito bacana.

    ResponderExcluir
  44. sou cadeiante desde que nasce, axei o espaço bacana e amei de verdade, poder compastilhar espericencias com pessoas que vivem como eu e bacana nuka tive oportunidade de namorar um cadeirante mais tenho curiosidade kkkk, na minha cidade nao e comum axar cadeirantes q queram se relacionar com outra cadeirante, sempre namorei andantes e sei cm e dificil de chegar na gente, graças a deus todos os meus relacionamentos foram saudaveis.

    ResponderExcluir
  45. Conheci meu marido cadeirante na internet em 2008. Conversamos por msn durante 2 meses e ele foi me conhecer. Namoramos durante 3 anos a distancia e foi muito dificil. Brigavamos por causa da saudade e dificuldades de uma relacao assim. Chegamos a ficar separados por 6 meses. Voltamos e depois de dois anos nos casamos. Me mudei pra cidade dele e hoje temos uma vida maravilhosa. Temos uma vida confortavel, cheia de harmonia e amor. Estamos casados a quase 3 anos e começamos a planejar nossos filhos.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...