sábado, 10 de setembro de 2016

Apex e ABIMO realizam evento sobre tecnologias assistivas

Painel da Apex/ABIMO discutiu o panorama da industria brasileira e os desafios para exportação
Nos dias 7 e 8 de setembro a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) e a ABIMO (Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios) realizaram na Casa Brasil, que fica dentro do Boulevard Olímpico da Praça Mauá, no Rio de Janeiro, um painel com palestras e discussões sobre Soluções Brasileiras Inovadoras e Sustentáveis em Tecnologias Assistivas. O painel contou com a presença de empresas parceiras da Apex e da professora Izabel Maior, ex Secretária Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência.
Primeiro dia do Painel
No primeiro dia, intermediado por Paulo Henrique Fraccaro, superintendente da ABIMO, palestraram a fisioterapeuta Elisandra, da Ibramed, que demonstrou um aparelho que trabalha com a corrente Aussie, que produz mais resultados tanto em estimulação quanto em analgesia. Em seguida, os proprietários da Jumper Equipamentos contaram a história da empresa e seus produtos. À tarde foi a vez de Márcio Weissheimer, da Freedom, falando sobre seus produtos, e Erika Foureaux, da ONG Noisinho da Silva, de Belo Horizonte, que criou uma cadeira para crianças com deficiência interagirem com outras em brincadeiras no chão. Em todas as apresentações foram ressaltadas as inovações dos produtos no sentido de aumentar a qualidade de vida dos usuários, e os desafios enfrentados no mercado nacional e para exportar.
Professora Izabel Maior palestrando na Casa Brasil
No dia seguinte, o grande destaque foi a palestra da professora Izabel Maior, que mostrou um panorama das leis nacionais e internacionais voltadas ao deficiente, finalizando na LBI - Lei Brasileira da Inclusão, destacando os pontos positivos e os que demandam atenção. Explicou o que é considerado tecnologia assistiva e a posição do Brasil, que hoje é grande importador deste tipo de produto, elogiando os incentivos da Apex para exportar os produtos aqui desenvolvidos. Em seguida ressaltou a importância das Paralimpíadas como painel de produtos assistivos de alta tecnologia, comparando com a Fórmula 1, que desenvolve tecnologia que acaba nos carros que dirigimos. Izabel discorreu também sobre incentivos fiscais e financeiros para empresas que atuam no setor, e sobre o papel da universidade no desenvolvimento de tecnologia assistiva. Foi uma palestra muito rica, a professora Izabel tem um vasto conhecimento da legislação e dos desafios para inclusão da pessoa com deficiência.
O representante da Deca falou sobre a experiência em exportar
Em seguida, intermediados pelo Gilson Spanemberg, da Apex, outros empresários falaram rapidamente sobre seus produtos, a atuação no mercado nacional e os passos para exportar com apoio da Apex. Foram eles a Erika Foureaux, da Noisinho da Silva, Júlio Oliveto, da Kit Livre, Leda Rosa, da Larqtec, e um representante da Deca, e foi formada uma mesa redonda em que discutiram a situação do mercado nacional e os problemas e incentivos para exportar. Ao final foi aberto para o público interagir questionando a mesa, o que gerou um bom debate, contando com a participação da platéia e de todos da mesa.
Este tipo de evento é muito importante para divulgar e debater o mercado de produtos de tecnologia assistiva, tão carente de incentivos e estímulos no Brasil. Foram apontados os problemas enfrentados pelos empresários, como falta de escala e incentivos fiscais e o custo da pesquisa e desenvolvimento, que majoram o preço final dos produtos, diminuindo sua competitividade. O que percebemos é que há no Brasil boas ideias e vontade, porém devido aos problemas de burocracia, falta de investimento e falta de incentivos, fica difícil oferecer produtos de qualidade e a preço justo, o que dificulta também a competitividade no exterior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...