sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Comparativo entre sedans de entrada para PCD

O comparativo agora é com os sedans de entrada, que custam até 50 mil com as isenções
Nos últimos anos, com a preferência crescente dos brasileiros pelo câmbio automático, as montadoras passaram a equipar seus modelos de entrada com este tipo de transmissão. Coincidentemente, o segmento de pessoas com deficiência tem ficado cada vez mais dependentes dos modelos de entrada, já que o limite para aquisição de veículos com isenção está congelado há dez anos. Portanto, é uma categoria muito importante para quem tem deficiência e precisa de câmbio automático. E os sedans, que tradicionalmente são carros familiares, indicados para casais que resolvem aumentar a família e consequentemente a bagagem, são mais importantes ainda para quem usa aparelhos de auxílio à locomoção, como cadeiras de rodas, muletas e andadores.
Porta malas grandes é uma das características marcantes dos sedans.
E o destaque principal deles é o tamanho do porta malas, que é sempre maior do que dos hatches, e até mesmo do que muitos SUVs compactos. A desvantagem é que não cabe uma cadeira de rodas praticamente montada como nos modelos deste último segmento, por isso seria, na minha opinião a segunda melhor opção para PCDs. Infelizmente não temos mais sedans médios com câmbio automático abaixo do valor limite para solicitar as duas isenções, então temos que nos contentar com os compactos mesmo.
Dando continuidade aos comparativos entre veículos para pessoas com deficiência, elaborei uma planilha com os sedans disponíveis no mercado abaixo de 70 mil reais. Para facilitar, dividi a planilha em duas faixas de preço, de 45 a 50 mil reais, e de 50 a 55 mil reais. Procurei não incluir dois modelos da mesma montadora, já que acabam sendo muito semelhantes, e também versões muito próximas do mesmo modelos, como Prima Advantage e LT, nestes casos priorizei a versão mais vantajosa. Desta vez, além de montar a planilha relacionando as principais características de cada modelo, elaborei também um ranking pessoal com as minhas escolhas, e com os principais pontos fortes e fracos de cada um. Claro que cada um tem uma opinião e uma preferência, portanto meu ranking servirá apenas para compartilhar o que acho de cada carro. E ajudar a tomar a melhor decisão. No link abaixo, está a planilha que tenho usado para comparar os itens de cada segmento. Nela está a aba dos SUVs, dos Sedans de entrada (Sedans1) e o ranking.
https://docs.google.com/spreadsheets/d/1BGVM56y_rYkOVzUpH5ifWm00RjTbu4emUYD9-3yBhSo/edit?usp=sharing
Este foi o ranking que elaborei. Espero que ajude a balizar a decisão

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Acessórios de auxílio à mobilidade

Que tal uma cadeira movida a cavalo? (imagem da Internet)
Desde a invenção da cadeira de rodas tem gente pensando em formas de ajudar o usuário a tocá-la. Provavelmente o primeiro acessório para auxiliar um cadeirante foi um cavalo... e de lá para cá surgiram inúmeros acessórios para ajudar, seja na força para tocar, seja para passar pelos terrenos acidentados que toda cidade brasileira tem. Vou listar aqui alguns acessórios que conheço.

Uma roda de 12 polegadas que transforma a cadeira em um triciclo

1- Freewheel
É uma espécie de "roda livre" que levanta as rodinhas dianteiras e facilita passar por terreno acidentado, como brita, areia e pedras. Facilita bastante passar por grama, brita, pedras e até areia. Encaixa facilmente e é compacto, fácil transportar até por aeronave. As desvantagens são que não resolve se as rodas traseiras forem muito finas, irão agarrar do mesmo jeito, e não tem motor, depende da propulsão manual. É fabricado nos Estados Unidos, e no Brasil encontra-se para comprar na Mobility (www.mobilitybrasil.com.br) ao preço sugerido de 3.000,00 reais.

É como um Freewheel com motor, direção e freios

2- Firefly ou Kit Livre
Mesmo princípio do Frewheel, é uma "quinta roda" que encaixa na frente da cadeira de rodas, com a vantagem de ter um motor elétrico no centro da roda e uma bateria que impulsionam o conjunto. Tem guidom com acelerador e freio, e até marcha a ré como opcional. As desvantagens são o tamanho e peso, o sistema complexo de encaixe na cadeira, e o pior é que não sobe morro, já que a tração é dianteira e o peso está todo atrás. E tem o preço, que nas versões intermediárias já ultrapassa os cinco dígitos. O modelo de 1000 wats custa mais de 10 mil reais.

Pelo valor de um carro usado, você empurra a cadeira com um motorzinho elétrico

3- Smart Drive
É também uma roda extra com um motor elétrico interno, com a diferença que se posiciona atrás do eixo da cadeira de rodas, e o acionamento é automático. Basta começar a tocar a cadeira que o motor entra em ação e empurra a cadeira de rodas. Só experimentei na Reatech, me pareceu fraco, não sei se aguenta um morro. Mas é mais engenhoso e tecnológico que os anteriores, porém sofre do mesmo mal, preço abusivo. No site da Mobility está por "apenas" 22 mil reais. Mais caro que muito carro.

Um triciclo que pode andar nas ruas e entrar em estabelecimentos comerciais. Serve pra tudo!

4 - Triciclos e Scooters Elétricos
Este não é um acessório que acopla à cadeira, mas um item à parte, que o cadeirante precisa se transferir para utilizar. Mas é mais confortável que a cadeira, e há modelos como o da foto acima que é forte, tem 1000 wats, a tração é traseira, portanto sobe qualquer morro, e é curto, pode entrar em supermercado, farmácia, lotérica, e ainda tem os equipamentos para rodar nas ruas, como retrovisor, farol, seta, freios a disco e até marcha a ré. Para mim, é o melhor acessório à mobilidade que conheço, e o preço, apesar de alto, não é proibitivo, pouco mais de 10 mil reais. 
http://www.blogdocadeirante.com.br/2018/11/triciclo-eletrico-para-pessoas-com.html

Estes são os principais acessórios que auxiliam quem tem mobilidade reduzida e trazem mais independência no dia a dia. Esqueci de algum? Se você conhece outros, deixe nos comentários. Gostaria que houvesse algum mais barato? Eu também! Mas infelizmente é tudo caro para pessoas com deficiência. Já que é assim, vamos tocar a cadeira do jeito que dá!

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Sexualidade da pessoa com deficiência

Este tema é sempre controverso e gera muito interesse por parte das pessoas com deficiência - e também das sem deficiência. É um tema muito amplo, e há muita informação na Internet, muitas vezes infundada e superficial. Se você quer saber mesmo sobre o assunto, nada melhor do que se informar com quem entende e estuda o assunto. Na feira Mobility & Show que aconteceu em Belo Horizonte no final de novembro, foram proferidas várias palestras, uma delas com o tema Sexualidade da Pessoa com Deficiência, foi ministrada pela Dra Maria de Mello, que é terapeuta ocupacional e vem estudando o tema há anos, trabalha na área e já atendeu centenas de pessoas. Na palestra ela comentou sobre os mitos que envolvem a sexualidade de quem tem deficiência, explicou o termo e desenvolveu passando por várias situações e alternativas de intervenção possíveis.
Veja abaixo os slides que ela passou durante a palestra para ter uma ideia da riqueza do conteúdo, e se você se interessou pelo assunto, contate a Dra Maria de Mello para conversar e tirar todas suas dúvidas!
Slides da palestra:
Dra Maria de Mello
Technocare
Rua Piauí, 69 loja 03

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Comparativo entre SUVs para PCD

Está cada vez mais difícil para uma pessoa com deficiência escolher um veículo para comprar. Não porque há muitas opções, mas porque elas estão acabando. Com o limite de isenção de ICMS congelado há quase dez anos em 70 mil reais, as montadoras de automóveis estão retirando vários itens de conforto, tecnologia e até segurança de seus carros para os enquadrar dentro do limite. Por isso quem precisa comprar um carro para atender à sua limitação e à sua necessidade, geralmente precisa de carro grande para carregar cadeira de rodas, cadeira de banho, órtese, ou outro acessório necessário à locomoção. Ou então é como milhares de famílias brasileiras e tem filhos ou parentes que precisa carregar.
No canal do Blog no Youtube criei uma Playlist só com os testes dos SUVs.
Link para os test drives nos SUVs que fiz: 
Portanto, o melhor tipo de veículo para atender a este público acaba sendo o SUV, por ter geralmente bom espaço interno e porta malas generoso. E este é o segmento que mais cresceu no país nos últimos anos, devido às características que citei aliadas à maior altura do solo e rodas grandes, para enfrentar as malfadadas estradas brasileiras. Como o mercado de veículos PCD cresceu muito em tamanho e importância, as montadoras não querem ficar de fora dele e depenam seus SUVs compactos para caber dentro do limite. Aí entra o dilema da pessoa com deficiência: que itens pode deixar de exigir na hora de escolher um SUV? É melhor pegar um carro com menos tecnologia ou menos segurança? 
Para tentar ajudar na escolha do próximo veículo, testei todos os modelos disponíveis hoje no mercado nacional e, além de publicar todos no Canal do Blog no Youtube, elaborei uma tabela com os principais itens de segurança, conforto e tecnologia que estes modelos ainda trazem nas versões para PCD. Procurei destacar itens que podem ser importantes para pessoas com deficiência, como caber ou não uma cadeira de rodas montada no porta malas. Isto ajuda muito no dia a dia, pois colocar uma cadeira com as rodas é muito mais fácil e rápido do que desmontá-las para guardar. Além disso, quando ela entra montada, sobra mais espaço embaixo e nas laterais para acomodar bagagem.
O comparativo pode ajudar a decidir, mas nada como um Test Drive nos veículos que tenha interesse. Não deixe de fazer!
Além das características importantes para PCD, ressaltei também itens de segurança como controle de estabilidade e tração, e conforto como piloto automático. Veja abaixo o vídeo do comparativo que fiz, e no link a seguir a tabela que elaborei. Caso identifique algum erro ou item que não é mais oferecido em determinado modelo, peço que me envie um email para blog.cadeirante@gmail.com. Alguns testes eu fiz há alguns meses, e nesse meio tempo alguns modelos perderam itens. Tentei atualizar com informações que encontrei na internet e ligando para as concessionárias, mas não consegui certeza sobre tudo. Enfim, espero que ajude quem está indeciso ou começou a pesquisar sobre os SUVs disponíveis no mercado.
Link para a planilha com o comparativo:


segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Mobility & Show Minas 2018

Entrada da feira. Fizeram questão de não deixar dúvida sobre a entrada...
Nos dias 23, 24 e 25 de novembro aconteceu no Minas Shopping, em Belo Horizonte, a Mobility & Show, feira de Exposição de Automóveis, Veículos e Adaptações, Equipamentos e Serviços para Pessoas com Deficiência e Familiares. Como a Reatech tem deixado de acontecer nos últimos anos, essa feira foi uma alegria para quem gosta de acompanhar as novidades em cadeiras, veículos e acessórios para pessoas com deficiência.
Cadeira de titânio e a diferentona Unilock, ambas da Smart
Não é a primeira vez que a feira vem a Minas, porém no passado ela aconteceu no Expominas, lugar bem mais adequado do que o escolhido para este ano, uma parte do estacionamento do Minas Shopping. Achei o lugar meio apertado, por várias vezes tive que desviar de outras cadeiras de rodas. E os stands das montadoras, então, só comportavam dois ou três cadeirantes por vez. Apesar disso, é muito bom ver que Minas Gerais ainda é interessante para acontecer este tipo de evento, nós somos um enorme mercado consumidor, ávido por novidades e temos muito o que acrescentar para estas empresas que buscam atender pessoas com deficiência. Nestas feiras podemos trocar ideia com lojas e fábricas, e também com outras pessoas nas mesmas condições. As palestras que ocorrem durante o evento são mais uma oportunidade de colocar em prática estas discussões.
Experimentei a cadeira de fibra de carbono Carbonmax, da italiana ProGeo
Na feira deste ano gostei de ver produtos de ponta como cadeiras de fibra de carbono e titânio, equipamentos voltados para cegos e surdos, e pessoas com mobilidade muito comprometida, como os teclados da Rede Mineira de Tecnologia Assistiva, que facilitam a utilização de equipamentos eletrônicos. Haviam também muitos veículos adaptados para transporte de pessoas com deficiência, três deles modelos Spin da Chevrolet com abertura e rampa na traseira, e um Ecosport que permite que o cadeirante entre por trás e dirija sem sair da própria cadeira. A limitação destes veículos é a altura do teto, que inviabiliza que pessoas mais altas os utilizem. Frisei isso com os expositores, que disseram buscar uma alternativa para resolver este problema. Vamos esperar.
Entre os veículos da feira havia até o híbrido Prius, da Toyota. O porta malas não ajuda muito...
Gostei muito de ver iniciativas voltadas para inclusão da criança com deficiência, como o balanço inclusivo, que permite ao cadeirante subir nele e se divertir com o ir e vir da estrutura. Aliás, a proposta do balanço não é atender somente a crianças, mas também às "crescidinhas" como eu! Devia ser incluído em parques públicos, fica a dica para governantes que queiram fazer de suas cidades mais inclusivas.
O balanço inclusivo, que permite ao cadeirante balançar, balançar... e se divertir!
O balanço geral do que vi foi positivo, senti falta de algumas lojas, marcas e produtos, mas como o espaço era limitado não poderia ser diferente - espero que seja somente este o limitador, pois importância, o evento teve. Confiram abaixo os vídeos que fiz sobre o evento, para terem um ideia do que foi este belo evento. Que venham mais!


sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Triciclo elétrico para pessoas com mobilidade reduzida

Excelente alternativa para locomoção de pessoas com mobilidade reduzida
Se tem um veículo que mudou minha vida após a lesão medular, foi o triciclo elétrico. Ele aumentou minha autonomia e independência para sair de casa e ainda é muito divertido. Ele permite a uma pessoa com mobilidade reduzida sair de casa e percorrer pequenas e médias distâncias sem ajuda de ninguém, podendo utilizar a calçada ou as ruas. Como ele tem rodas grandes e todos os itens de segurança presentes em motos, como setas, farol, luz de freio e de ré, pode rodar nas ruas junto com os carros, subir pequenos degraus e descer ou subir morros íngremes. A outra vantagem inegável é a economia, ele recarrega em tomada comum e o quilômetro rodado custa em torno de um centavo!
Passeando em um parque com o triciclo
A maior vantagem sobre outros aparelhos e acessórios de auxílio à mobilidade é que ele sobe qualquer morro, por mais íngreme que seja. Ele tem motor de 1000 wats e vem com um seletor embaixo do acelerador com três opções de velocidade. Na velocidade 1, é possível subir morros íngremes ou acompanhar uma pessoa andando. Muito bom para passear com a esposa ou filhos em um parque ou pela calçada mesmo. Aliás, o fato de andar bem tanto na rua quanto na calçada é que faz dele uma alternativa excelente para o dia a dia. Na velocidade 2, ele vai um pouco mais rápido e dá para rodar por um parque ou calçadão. Na velocidade 3 ele atinge sua velocidade máxima de 35km/h em terreno plano e dá para rodar na rua.
Temos também modelo para duas pessoas!
O triciclo é curto, tem apenas 1,55m de comprimento por 65cm de largura e pode entrar em supermercados, padarias, farmácias, lotéricas, papelarias, e qualquer comércio que tenha um mínimo de acesso. Até em padaria com um degrau na porta eu já entrei, pois ele sobre pequenos degraus e meio fios. A autonomia é de até 60 km com uma carga, carrega em tomada comum em 110 ou 220 V e uma carga completa demora de seis a oito horas. Ele tem todos os equipamentos necessários para tráfego nas ruas e pode rodar por calçadas, grama, terra e areia. Aguenta até 140kg e tem modelos para uma e duas pessoas.
Fazendo compras no Supermercado,

- O modelo de 1000 wats para uma pessoa custa R$ 10.490,00 + frete.
- O modelo de 1000 wats para duas pessoa custa R$ 12.490,00 + frete.

Ele pode ser adquirido à vista com 3% de desconto, com entrada de 40% e o restante em até dez vezes no cartão de crédito, ou ainda é possível financiar o triciclo elétrico pelo Crédito Acessibilidade do Banco do Brasil, que divide o valor em até 60 vezes com juros muito baixos. As condições para conseguir o crédito são: ser correntista do Banco do Brasil, ter renda mensal de no máximo dez salários mínimos e ser deficiente. Também é possível que um  parente com conta no BB consiga o crédito para o deficiente.

Sou representante da fábrica para todo o Brasil. Para comprar o triciclo elétrico solicite o Pedido de Compra ou envie um e-mail para blog.cadeirante@gmail.com que eu retorno com o formulário para preenchimento da Nota Fiscal. Se preferir, mande um Whatsapp para (31) 98482-9474 e conversamos melhor.

sábado, 13 de outubro de 2018

Como guardar e tirar a cadeira do carro

Com um pouco de treino a gente aprende
A primeira técnica que aprendi e que me deu muita liberdade, muita independência, a ponto do meu dia a dia ficar quase igual a quando era antes do acidente, foi guardar e tirar a cadeira do carro sozinho. Antes disso, toda vez que eu precisava sair de casa, eu tinha que pedir a alguém para ir comigo. Nos primeiros meses eu estava sem trabalhar, me recuperando, mas para ir na fisioterapia, ao médico ou até ao Shopping, eu precisava de alguém para ir comigo, para desmontar a cadeira, guardar no porta malas, e depois montar a cadeira para eu sair do carro. Isso me deixava chateado porque muitas vezes não conseguia fazer o que eu queria, porque não tinha ninguém para ir comigo. 
Felizmente foi um período pequeno, de dois meses, até eu ser chamado ao Hospital Sarah, onde mostraram uma técnica em vídeo de uma pessoa guardando a cadeira no carro. Na época era mais comum a cadeira dobrável, pouca gente usava monobloco. E guardar uma cadeira dobrável por conta própria não é tão difícil, já que ela desmonta várias peças e dá para ir guardando aos poucos. Ainda assim é um pouco pesada, e é preciso força nos braços. Logo que sai de lá eu treinei um pouco e consegui repetir o processo. Aí após adquirir meu primeiro carro adaptado, me tornei muito independente, ia onde queria sozinho, sem maiores problemas. Ou melhor, desde que houvesse acessibilidade onde eu estava indo, mas isso é um problema externo, de estrutura da cidade, e não podemos resolver por nossa conta. Mas mesmo assim dá para contornar. Quando vou a algum lugar que não tem acessibilidade, ligo antes e peço para alguém me auxiliar assim que eu chegue ao local.
O apoio de braço ajuda bastante no processo
Ao comprar minha primeira cadeira monobloco, em 2009, surgiu um novo problema: como guardar aquela cadeira que não desmonta nem dobra? Recorri à Internet e encontrei um vídeo gringo mostrando a técnica. Treinei bastante até conseguir, ou melhor, até desenvolver minha própria técnica, que ficou um pouco diferente da que vi. E aos poucos fui aperfeiçoando a técnica. Aí fiz um vídeo mostrando como faço e publiquei. Depois disso, apareceram vários vídeos mostrando técnicas iguais ou similares à minha. Porém nenhuma delas tinha uma didática muito boa, as pessoas ia mostrando e guardando a cadeira, fazendo parecer fácil. Mas sei que não é fácil, cada pessoa tem um nível de dificuldade, seja devido ao pouco controle de tronco, seja devido à pouca força muscular. Portanto resolvi fazer outro vídeo, desta vez explicando cada passo da técnica que uso, desde o posicionamento, até a fixação da cadeira no banco do passageiro.
E depois mostrei como faço para tirar ela do carro. Esse movimento é mais tranquilo, pois para tirar não temos que fazer tanta força, basta passar por cima e deixar ela descer até o asfalto. E então montar as rodas. Após o vídeo, espero que tenha ficado mais fácil treinarem a forma de guardar e tirar a cadeira. Mas tenha em mente que cada pessoa vai ter suas particularidades, e portanto terá que adaptar o método à suas limitações. E, se necessário, irá utilizar ferramentas ou acessórios para ajudar a estabilizar ou puxar a cadeira para cima. Alguns acessórios que vejo utilizarem são tábua de transferência e alças de apoio. É possível instalar no carro alças do lado do motorista, daquelas popularmente chamadas de "pqp", o que ajuda tanto na transferência quanto ao guardar a cadeira. O desafio maior é tirar a cadeira do chão e levar até o colo do motorista. Uma vez que se consiga isso, é só acabar de guardar. Vejam abaixo o vídeo que produzi, espero que ajude muita gente!

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Parceria com a Tecar Jeep

A Zelaine é gerente na concessionária e está atenta às necessidades do público PCD 
O Blog do Cadeirante firmou mais uma parceria de sucesso! Agora temos o apoio da Tecar Jeep, concessionária que fica na Avenida Nossa Senhora do Carmo, 777, no bairro Sion, aqui em BH, especializada em Jeep! A concessionária é totalmente adaptada, conta com manobrista na porta (que tem experiência com cadeiras de rodas), elevador para acessar o hall e banheiro adaptado. Os funcionários são atenciosos e atentos às necessidades das pessoas com deficiência. O show room é completo e espaçoso, fácil de transitar com qualquer aparelho de auxílio à mobilidade.
Com o Renegade adaptado no dia do Passeio de Aventura
A Tecar Jeep foi pioneira ao disponibilizar em 2016 um Renegade adaptado para test drive, tanto que foi o primeiro test drive que fiz para o canal do blog, que você pode conferir ao fim da matéria. Em breve vou repetir este test drive no Renegade, que recentemente voltou a ser oferecido com roda de liga leve de 16"! Este veículo ficou disponível por mais de um ano, para quem quisesse fazer test drive, e foi com ele que participei de um Passeio de Aventura organizado pela concessionária em agosto de 2016. O passeio foi ótimo, contou com mais de 30 veículos, passamos por lindas cidadezinhas ao redor de Belo Horizonte e teve até uma prova! Recebemos na largada uma folha com imagens da trilha e a gente precisava tirar as mesmas fotos durante o caminho.
Na chegada do passeio de aventura, ficamos no pódio!
Foi muito bacana o passeio, eu peguei a manha de ler a planilha logo no início e minha co-pilota ajudou a entender e logo estávamos liderando grande parte dos participantes, que nos seguiram até próximo do fim. Faltando apenas 200 metros para chegar ao restaurante, nos enrolamos e resolvemos voltar. Logo percebemos o erro e voltamos, mas aí já haviam dois carros lá e chegamos em terceiro lugar! Foi muito bacana participar do passeio, o carro que eu estava era somente tração dianteira e passou por lugares que não acreditei! O carro é valente, o estilo de vida da Jeep é empolgante e saber que há uma concessionária investindo em acessibilidade e apoiando iniciativas em prol das pessoas com deficiência é muito gratificante!
A Tecar tem manobrista na porta e elevador para acessar o hall principal
Com nossa parceria, faremos ações para incentivar o público PCD a conhecer os carros da marca e iremos facilitar o contato com a concessionária no intuito de facilitar a aquisição com isenção total ou parcial de impostos. Confiram abaixo os test drives que já fiz na concessionária, e fiquem à vontade para comentar e enviar suas dúvidas!



LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...