segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Até o Minas Centro fica devendo

Mais um flagrante de desrespeito à acessibilidade do cadeirante em Belo Horizonte e em um local direcionado ao público: o Minas Centro, um importante Centro de Convenções que ocupa um quarteirão inteiro do Centro, entre as ruas Curitiba, Guajajaras, Santa Catarina e Avenida Augusto de Lima. Estive lá por engano, procurava um evento que na verdade estava sendo realizado no Expo Minas, mas pude identificar algumas dificuldades para um cadeirante.
Em primeiro lugar, não há vagas para deficiente físico em frente ao Minas Centro, somente nas ruas laterais e atrás. Rodei e só encontrei vaga para deficiente desocupada na rua Guajajaras, atrás do Minas Centro. A vaga fica do lado oposto ao Minas Centro, portanto desci do carro e já precisei atravessar a rua. Havia rampa na esquina e subi na calçada. Desci em direção à entrada, mas eis que ao chegar no estacionamento lateral do Minas Centro (foto abaixo), descobri que não há rebaixamento para descer e subir novamente na calçada. Resultado, tive que descer vagarosamente o meio-fio, rodar pelo asfalto (a entrada, como podem ver, é de pedra fincada, terrível para cadeira de rodas) e voltar novamente à calçada subindo o meio-fio, com grande dificuldade. Transtorno desnecessário para chegar à entrada de um estabelecimento tão importante para o cidadão. Já encaminhei a reclamação ao Minas Centro e aguardo resposta.
Querendo ou não acabo utilizando este espaço para reclamar sobre as condições para os cadeirantes em Belo Horizonte. Não é o objetivo principal do blog, pretendo aqui divulgar informações mais abrangentes de interesse para cadeirantes. Mas não consigo ficar inerte frente a desrespeitos cometidos dentro da minha realidade. Se aqui em Belo Horizonte já é difícil e complicada a vida de um cadeirante, imagino como é no interior.
O diferencial aqui é que não apenas registro e publico as reclamações, envio um e-mail ou telefono diretamente para o estabelecimento ou órgão "infrator", e se há uma resposta ou solução, publico novamente para conhecimento de todos. Portanto aproveito este post para disponibilizar o espaço para qualquer pessoa que flagre um desrespeito com cadeirantes em sua cidade e me envie para o e-mail alerifer@gmail.com, de preferência com uma foto. Analisarei as reclamações e publico assim que entrar em contato com o estabelecimento.

2 comentários:

  1. Caro Alessandro: conheço muito bem o caso do MINASCENTRO pois já morei em BH por quase 20 anos. Atualmente, vivo numa cidade com cerca de 7400 hab em que praticamente todas as ruas são pavimentadas com paralelepípedos ou blocos sextavados e, como sou cadeirante novato e peso mais de 100 kg, acabo sempre precisando de ajuda para atravessar a rua apesar de existirem umas poucas rampas na região central. Dura essa vida de cadeirante da roça...

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...