domingo, 11 de agosto de 2013

É incrível falar de si mesmo

Uma cadeirante de fibra!
O post de hoje vem da Débora Borsoli, do blog inPerfeitas. Conheci essa bela paulista pela internet, quando estava criando o blog juntamente com a Luciana e a Wivian, e nos tornamos amigos. Uma reflexão muito bem elaborada e emocionante, agradeço pela contribuição! E acompanhem o blog delas é excelente!
"É incrível falar de si mesmo. E mais incrível ainda é como possuímos o poder de mudanças e adaptações. Como as circunstancias mudam, como a vida muda em um curto espaço de tempo. A ultima vez que contei minha história, tem pouco menos de 1 ano, foi quando resolvemos fazer o blog. Hoje, sou outra mulher, com aquela história, porém com outra visão e experiência de vida. Meu nome é Débora, tenho 27 anos, curso faculdade de Ciências Contábeis, tenho um blog chamado inPerfeitas (http://dminperfeitas.blogspot.com.br/), e sou portadora de Distrofia Muscular.  O Alê nos cedeu um espaço aqui no blog dele, para que uma vez por mês possamos contribuir com uma matéria diferente, achei que contar minha história na primeira matéria, seria interessante. 
Ela é modelo nas horas vagas!
O início de tudo foi quando eu tinha 11 anos, e alguns sintomas começaram a aparecer. Apesar de meu pai ser portador, acreditavam que eu poderia não ser portadora, por ainda não ter apresentado os sintomas. Fomos até a USP fazer o exame de DNA, e comprovou o que já desconfiávamos, eu também era portadora da Distrofia Muscular. Para uma criança de 11 anos, era difícil entender do que se tratava, então eu não senti diferença na maneira de viver. Quando fiz 13 anos, os sintomas começaram a aumentar, e as coisas foram ficando um pouco mais difíceis: os olhares de algumas pessoas, a maneira de me tratar de algumas pessoas, e, nessa idade, a rebeldia aparece, e comigo não foi diferente. De certa forma me vi perdida, porém sempre tive o apoio de toda a minha família, que sempre foi o meu porto seguro. Começaram os tratamentos com natação, depois hidroterapia. Eu tentava agir de uma maneira normal, e eu me considerava “normal” diante de tudo. O tempo foi passando, eu tinha uma vida normal, pelo menos do meu ponto de vista, eu tinha. Eu tinha um pouco de dificuldade para caminhar, e acabei deixando de fazer algumas coisas, como: ir ao shopping, mercados e outros lugares que tivesse que caminhar muito. Acabei deixando passar o tempo, e hoje vejo que poderia ter sido diferente se eu tivesse começado a usar a cadeira de rodas antes. 
Um exemplo de vida.
Hoje com 27 anos, eu caminho, sou independente, curso a faculdade e faço muitas outras coisas.  Mas o mais legal, eu aceitei a cadeira de rodas, e apesar de não precisar usar ela para muitas coisas, ela me trouxe liberdade, me trouxe o gostinho de ir a lugares que eu não poderia ir, pois me cansava demais. Existem coisas que acontecem e não sabemos o motivo, e ficamos tentando entender. Nos aceitar e nos amar é algo que devemos aprender, independente de nossa condição física. A vida fica muito mais gostosa e leve depois que conseguimos olhar para trás, e ver que nossas experiências nos transformam, nos transformam no melhor que podemos ser e podemos fazer. Eu nunca imaginava andar em uma cadeira de rodas, hoje isso não passa apenas de um acessório para me ajudar a me comover e ir a lugares que gosto. É normal, eu me olho e não vejo uma cadeira, me olho e vejo uma mulher. Costumo dizer que a felicidade é algo que buscamos, e ser feliz é para os corajosos, pois felicidade requer esforço, requer olhar a vida com os olhos do coração.  Algumas situações fogem do nosso alcance, como uma doença, um acidente. Seja feliz, busque sonhos e conquistas. A vida esta ai para ser vivida, independente de nossa condição."

7 comentários:

  1. Gostei muito! Um moça bonita por fora e por dentro! Madura! Acredita em si e sabe fazer de um limão uma limonada! A vida é assim e felicidade é mesmo para os fortes. Vc é uma guerreira! O que escreveu significa plantio, pois ajudará outras vidas. Parabéns

    ResponderExcluir
  2. Me ajudou muito. Bjs.

    ResponderExcluir
  3. A cadeira da gata tem telefone? rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  4. Meu amor... Como disse antes... sua história é lindaaa!!!!! Amei cada palavra... como amooo vc!!!!!!!
    assinado = seu namorado

    ResponderExcluir
  5. Obrigada Genaura. Ficou feliz que tenha gostado, e realmente é sempre muito bom poder ajudar com nossas experiências. E também quero agradecer ao Alê pelo espaço e pela parceria. Será uma parceria maravilhosa com o Blog inPerfeitas. E obrigada amor..rsrsrs. Beijos

    ResponderExcluir
  6. Meu anjooo... de nada... rsrsrs... Te amooo gatona...

    ResponderExcluir
  7. Lindo o depoimento...parabéns Débora e parabéns Ale pela iniciativa de abrir o espaço...Me lembrei de uma frase que é mais ou menos assim: "Nenhum de nós é tão bom, como todos nós juntos"...beijooo

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...