quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Pousada Pilar - Arraial do Cabo/RJ

Decoração rústica e ambiente agradável
Uma pousada, por definição, é um hotel modesto, rústico, ou próximo à natureza. Adaptar uma pousada para deficientes, portanto, demanda mais do que boa vontade, muitas vezes é preciso alterar a estrutura existente e perder um pouco do charme natural. Além disto, como são poucas acomodações, não vale a pena adaptar, certo? A Pousada Pilar, que fiquei em Arraial do Cabo, prova que não é bem assim. Com alguns equipamentos estrategicamente instalados e pequenas mudanças de layout, eles adaptaram dois dos oito quartos disponíveis para deficientes.
A recepção já remete ao fundo do mar
Instalaram um pequeno elevador externo que possibilita a um cadeirante e um acompanhante acessarem os quartos adaptados, no segundo e terceiro andares. Como a pousada tem decoração rústica, o elevador não podia ficar de fora, e tem aquelas grades treliçadas que fecham por segurança. É pequeno, mas suficiente para um cadeirante e um acompanhante utilizarem sem aperto.
Elevador panorâmico cabe um cadeirante e acompanhante
O quarto é bem amplo, tem uma cama gigante, tão grande que eu ficava com saudades da Gi pela manhã! E o banheiro também não fica atrás, dá para fazer uma festa do roupão lá dentro. A pia é enorme, tem vão livre embaixo para entrar com a cadeira e fácil alcance às torneiras. O chuveiro, porém... não tem chuveirinho. E eles só tem uma cadeira de banho. Como o Gustavo chegou primeiro, pegou a cadeira de banho, sobrou para mim somente uma cadeira de plástico, que não resolve, mas ajuda. A cadeira de banho deles, como me contou o Vagner, gerente/proprietário da pousada, não é adequada, pois não solta os braços. O ideal é uma cadeira com braços removíveis e rodas grandes, como a deste link.
Área externa, com piscina e restaurante gourmet
Nos quartos há varanda com vista para a piscina da pousada, que fica nos fundos em meio a muito verde. Há rampa para chegar lá, e além da piscina há uma churrasqueira e uma cozinha gourmet, com forno de pizza e tudo. Por todo lado há bandeiras, enfeites, um lustre feito de cabaças, e até um espelho feito de escotilha que reflete a água da piscina, dando a sensação de estar vendo o mar. Bem original! Na foto dá para perceber, ao centro. Tem também uma sauna, mas esta não é acessível para cadeira de rodas.
Hall/restaurante/bar/sala de descanso/etc/etc. No meu colo, a gata pirulita!
A parte mais charmosa da pousada, na minha opinião, é o hall principal, que é também o restaurante, o bar, a recepção, tem uma salinha de descanso e de TV, e tem até uma fonte de água e um pequeno altar. Muita coisa, né? Mas tudo em seu espaço, muito bem decorado e confortável. E há uma saída para uma varandinha que também dá para a piscina. As janelas da cozinha são escotilhas de um antigo navio japonês, e há vários itens como abajures e mesas com peças de navios antigos. Muito legal!
O chão do estacionamento é bem irregular
O ponto mais negativo, entretanto, fica por conta da garagem. Ela é muito apertada, é preciso parar os carros próximos para caberem todos, e o chão é de pedras irregulares cheias de ressaltos, bem difícil de passar com a cadeira. A única forma de minimizar o problema é parar próximo ao início da rampa que dá acesso à pousada. A rampa tem um início mais íngreme, mas é tranquila de ser vencida. Tem corrimão ao longo de toda a rampa. Além disso, se necessário o Vagner auxilia a subir ou descer, ele tem experiência com cadeirantes.
Vagner mostrando uma das inúmeras bandeiras da cozinha gourmet
O ponto mais positivo da pousada é o tratamento. Seu João e seu filho Vagner tratam os hóspedes com muito carinho e cuidado, procurando saber as necessidades e limitações de cada um. Estão totalmente abertos a sugestões e reclamações, inclusive ficaram de providenciar uma outra cadeira de banho mais adequada e pensar em uma forma de melhorar o estacionamento. Eles estão de parabéns por pensar nos deficientes, com poucas alterações a pousada ficará totalmente acessível. Recomendo muito a pousada, pelo charme e experiência diferenciada.

7 comentários:

  1. oi Alessandro uma boa cidade e cabo frio vários hotéis restaurante motéis e afins tem adaptação inclusive e muito comum lugares acessíveis ate mesmo nos shows que tem na praia eles colocam área reservada pra deficientes bem perto do palco ,meus pais tem casa lá e não e difícil ver inclusive propagandas de estabelecimentos citando isso quando eu for lá vou tirar algumas fotos e mandar pra vc se vc quiser abraço

    ResponderExcluir
  2. Muito legal a pousada, Alessandro! Deu vontade de conhecer! Abraços!!!

    ResponderExcluir
  3. Eu quero ir com meu namorado que também é cadeirante, sempre que tiver dicas assim legal mande, porque isso ajuda muito!

    ResponderExcluir
  4. Olá Alessandro, parabéns pelo blog e obrigada por partilhar suas experiências e dicas! Minha mãe é cadeirante e estou pensando em levá-la para passear em Arraial do cabo (ou cabo frio). Vc teria um outro post com dicas de atividades com acesso a cadeirante ou apenas este sobre a pousada? O seu post sobre Fernando de Noronha também foi mto legal, já sei que também posso levá-la lá! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! De lá, só a pousada, fui para o batismo do curso de mergulho e não tive oportunidade de explorar a cidade. Abraços

      Excluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...